23 de janeiro de 2013

Como tornar (ou manter) a sua empresa inovadora


Estimular e aplicar a inovação. É isso o que fazem as grandes empresas na hora de se manter à frente dos seus respectivos mercados. 3M, Google, Natura e Buscapé se reuniram para debater o tema no evento de lançamento do Endeavor Innovation Program (EIP) no dia 22/1/2013.

O projeto é realizado pelo Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação da Endeavor, com apoio financeiro da Finep e do Ministério da Ciência e da Tecnologia.

O programa colocou 60 empresas em contato com as práticas mais modernas de inovação e será supervisionado por professores do Insper, de Harvard e de Stanford. Mas como ser e se manter uma empresa inovadora?

Aqui vão dicas dessas quatro grandes marcas:

1. A inovação precisa, primeiramente, fazer parte da cultura da empresa. “Costumamos dizer que a inovação não acontece, ela sempre está presente dentro Google”, afirma Alessandro Germano, gerente de novos negócios da companhia. “E estimular isso parte da própria diretoria.” Luiz Serafim, gerente de marketing corporativo da 3M, reafirma a necessidade de um ambiente que seja favorável à inovação.

2. Tenha foco e planejamento. “Inovar em tudo parece uma ideia fantástica, mas não é nada prática”, afirma Serafim. Escolha as áreas em que você precisa de novas ideias, defina quais são os objetivos que você quer alcançar e os passos para chegar lá e, depois, determine as métricas para avaliar o sucesso de sua trajetória. Germano concorda que muitas empresas devem achar um modelo para administrar a inovação, mas que, no caso do Google, é preciso ter mais liberdade. Vitor Fernandes, diretor de ciência & tecnologia, ideias e conceitos da Natura, também diz que o modelo da empresa é o de estabelecer objetivos e depois partir para alcançá-los.

3. Todo funcionário, independentemente do seu cargo ou área, deve ser estimulado a inovar. “Na 3M, todos podem e devem ser intraempreendedores e são avaliados pelas suas novas ideias”, diz Serafim. Os engenheiros do Google podem utilizar 20% do seu tempo para trabalhar em projetos pessoais (e Gemano afirma que isso não é lenda). Já o Buscapé estimula projetos internos que agreguem novos conhecimentos à empresa.

4. É possível buscar a inovação também fora da empresa. Ayrton Aguiar, vice-presidente de fusões e aquisições do Buscapé, afirma que uma das estratégias da marca é buscar e comprar startups que tenham ideias novas e possam incrementar os serviços que ela já oferece. Disso surgiu o projeto “Sua ideia vale 1 milhão”, que seleciona esse tipo de negócio nascente para virar sócio do Buscapé;

5. A inovação é colaborativa. Para a 3M, a interação com os seus clientes é essencial para descobrir oportunidades para novos produtos ou serviços. Por isso ela leva anualmente mais de 7.000 consumidores para um centro de testes de novos produtos para receber e analisar feedback. A empresa também compartilha o conhecimento que está sendo produzido – mesmo que ainda não tenha utilidade – com todos os funcionários justamente porque eles podem repensá-lo e dar direcionamentos novos. O Google também tem o costume de testar seus produtos com os próprios funcionários para identificar, de cara, possíveis melhorias.

Fonte: Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios