Pular para o conteúdo principal

O CHA de Recursos Humanos


Um dos assuntos mais discutidos recentemente no mundo do trabalho diz respeito ao conceito de competência. Entretanto, a descrição exata deste conceito nem sempre foi unanimidade entre pensadores e gestores, pois como se trata de uma característica do comportamento humano, não é tão simples assim se chegar a critérios claros que permitam comparações válidas entre diferentes pessoas.

Mas gostaria de compartilhar com você uma interessante e atual “leitura” sobre o assunto, que diz respeito ao conceito de competência como vêm sendo cada vez mais interpretado pelas empresas de hoje, e que, ao que parece, veio para ficar. É a concepção expressa a partir do ideograma CHA. Este ideograma “CHA”, que serve para designar (Conhecimento, Habilidade e Atitude) é uma maneira de se procurar definir o sentido de competência a partir de um referencial no qual ela possa ser mensurada, e até mesmo comparada a padrões internacionais. E é um dos modelos mais atuais com o quais as melhores empresas trabalham hoje para avaliar seus colaboradores.

O C significa conhecimento sobre um determinado assunto. Diz respeito à pessoa dominar um determinado Know-how a respeito de algo que tenha valor para empresa e para ela mesma. É o saber.

O H significa habilidade para produzir resultados com o conhecimento que se possui. Diz respeito à pessoa conseguir fazer algum uso real do conhecimento que têm, produzindo algo efetivamente. É o saber fazer.

O A significa atitude assertiva e pró ativa__ iniciativa. Diz respeito ao indivíduo não esperar as coisas acontecerem ou alguém ter que dar ordens, e fazer o que percebe que deve ser feito por conta própria. É o querer fazer.

A grande diferença desta visão, é que antes, a noção de competência era associada principalmente ao domínio de um determinado conhecimento. Logo, segundo esta noção, alguém que dominava muito bem algum assunto era chamado de competente. Então quem saía da universidade “sabendo” muita coisa, ou era um profissional “muito estudioso” era considerada uma pessoa de muita competência. Era... Porque hoje não é mais.

Segundo a concepção atual, alguém pode ser considerado bastante incompetente mesmo que domine muito bem um assunto, se não tiver a habilidade e a atitude para produzir resultados com isso. É o caso daquele leu mil livros, mas não consegue realizar um trabalho sequer.

Da mesma forma, alguém entusiasmado e cheio de atitude pode ser um grande incompetente se não dominar os conhecimentos necessários e a habilidade a um bom desempenho de seu trabalho. É aquele indivíduo cheio de planos e energia, que acaba se dando mal por não saber muito bem “o que” e “como fazer”.

Como vemos, este é um conceito muito mais “completo”, que envolve__ como já disse Eugênio Mussak, em seu ótimo livro “Metacompetência” __ saber, saber fazer, e querer fazer. E é a partir deste novo referencial que tanto as empresas quanto o mercado de trabalho em geral estarão avaliando a competência dos profissionais neste início de século.

A maior dificuldade das organizações, no entanto, tem sido em relação à “atitude”. Isso porque não se pode ensinar alguém a ter atitude através da transmissão de informações simplesmente. É preciso criar todo um contexto motivacional que envolva as pessoas e faça com que realmente se empenhem nas tarefas que tem a realizar. O que se constitui num dos principais desafios da gestão de pessoas na atualidade.

http://4.bp.blogspot.com/_VnP7WHO8-OU/S1XgoM5oZmI/AAAAAAAAALo/rOUuSaMnKlY/s320/leite+derramado.jpg

E quanto ao profissional, considero importante levar em conta que, mesmo que não esteja (ou não pretenda estar), em alguma empresa, como empregado __ no caso de preferir atuar como autônomo__ é imprescindível entender este conceito e, na medida do possível, balizar sua atuação em relação a ele.

Tenha em mente que você apenas será competente em alguma coisa a partir do momento em que dominar bem o conhecimento a respeito dela, for capaz de aplicar este conhecimento para produzir algum resultado, e principalmente, tiver a atitude necessária para realmente fazer isso acontecer.

É isso que o mercado busca hoje__ dentro ou fora das empresas.

Fonte: Portal O Gerente

Leia ainda o artigo "CHA - Chá nada! CHARME!"

Postagens mais visitadas deste blog

Baixar vídeo motivacional Desafiando Gigantes

Um dos vídeos motivacionais mais utilizados nos últimos tempos. Um vídeo realmente significativo e um dos que eu mais gosto. Ao mostrar este vídeo, eu sempre pergunto quais são as lições mais importantes que são possíveis extrair dele.
Grant Taylor, um treinador de um time de futebol americano, tendo vários atletas "gigantes" em sua frente, para motivar e incentivá-los antes de um jogo contra um outro time reconhecido. Assim, como o treinador os seus problemas no trabalho, na sua casa, no carro, com seus alunos, sua esposa e até mesmo com a falta de dinheiro, podem ser relacionados com esses "gigantes".
“A vida é um grande desafio e devemos estar sempre prontos para superá-los, essa é a mensagem deste super vídeo motivacional. A motivação e a autoestima são como crianças, que devem ser bem alimentadas, bem orientadas para que quando crescerem, estejam realmente preparadas para enfrentar o mundo corporativo, para que tenha olhos para enxergar além, e terem fo…

A importância das dinâmicas

Olá pessoal! Encontrei um maravilhoso texto publicado no Portal Mundo Jovem da PUC, levantando a importância do bom uso das dinâmicas, seja em escolas, organizações, pequenos ou grandes grupos.

A dinâmica promove a participação

A dinâmica de grupo constitui um valioso instrumento educacional que pode ser utilizado para trabalhar o ensino-aprendizagem quando opta-se por uma concepção de educação que valoriza tanto a teoria como a prática e considera todos os envolvidos neste processo como sujeitos.

A opção pelo trabalho com dinâmica de grupo permite que as pessoas envolvidas passem por um processo de ensino-aprendizagem onde o trabalho coletivo é colocado como um caminho para se interferir na realidade, modificando-a. Isso porque a experiência do trabalho com dinâmica promove o encontro de pessoas onde o saber é construído junto, em grupo.

Logo, esse conhecimento deixa de ser individualizado e passa a ser de todos, coletivizado. Ainda tem a qualidade de ser um saber que ocorre quando a…

Seguidores