25 de maio de 2016

Sua Carreira é Um Emprego


Olá pessoal do Blog Gestão em Recursos Humanos, tudo bem? Como vocês tem passado a semana? Hoje quero compartilhar um material com você (que recebi hoje cedo no meu email) de uma empresa que admiro muito - Runrun.it e esse colunista escreveu no blog algo bem interessante, confiram comigo:
Em uma apresentação sobre como fazer networking, Márcia Arcoverde, headhunter, disse que "a carreira é um emprego". E ela tem toda a razão. Imagine que você está empregado em uma empresa e que, para fazer seu trabalho, deve visitar certo número de clientes, apresentar bem seu produto, fazer uma proposta e vender. O que acontecerá, se você faltar ou for negligente em uma dessas etapas? 
Bem, o resultado é que a venda exigirá um enorme gasto de energia, levará mais tempo que o desejado ou, o que é mais provável, não ocorrerá. 
O maior problema que as pessoas encontram em suas profissões é que, independentemente do número de horas dedicadas ao trabalho, elas gastam 100% do seu tempo mental com a empresa que as emprega. Com isso, quando são demitidas, geralmente, não têm a quem recorrer, porque passaram muito tempo sem visitar os potenciais “clientes” de suas carreiras – pessoas que poderiam contratá-las ou indicar oportunidades. E, como não veem essas pessoas regularmente, sentem-se constrangidas em contatá-las nessas ocasiões. 
Em algum momento do seu dia, você terá de tomar café da manhã, almoçar ou jantar. Use esses momentos para cuidar da sua carreira. Mesmo aqueles que fazem networking de maneira virtual, em redes como o LinkedIn, não possuem um grande número de pessoas que estão um ou dois níveis acima do seu cargo. Esquecem-se de que são os diretores que contratam gerentes, e que são presidentes que contratam os diretores.
Portanto, não adianta ter uma grande rede formada exclusivamente por pangarés. A qualificação de seus contatos é importante.
 
Afinal, é seu emprego e sua carreira que estão em jogo. Faça um diagnóstico de sua rede periodicamente, com essa perspectiva em em mente. Por último, aceite mais convites para eventos e faça o esforço útil de conhecer e encontrar-se com mais pessoas. Afinal, como você vai vender seu produto principal, ou seja, você mesmo, se não estiver presente no mais importante mercado de todos: a memória de seus potenciais empregadores? Ser lembrado também é fundamental. Você tem comparecido ao seu emprego?

Um artigo de Silvio Celestino (colonista do blog Runrun.it).