18 de junho de 2014

O segredo para trabalhar feliz

Gestão em Recursos Humanos - O segredo para trabalhar feliz

Por muito tempo aqui no blog Gestão em Recursos Humanos, as pessoas vieram me perguntando o que era necessário ou qual seria o segredo para a pessoa ou a sua equipe trabalhar feliz. E hoje (mesmo em clima confortável de Copa do Mundo), resolvi tratar desse assunto.

Primeiramente gostaria que você soubesse que se isso não passou pela sua cabeça, você faz parte de um pequeno número de gestores. Isso mesmo! A grande maioria dos gestores se pergunta ou já perguntou-se o que era necessário para ter colaboradores felizes. Pois, todos sabemos que pessoas felizes produzem mais e alcançam rapidamente o sucesso, em qualquer que seja a função ou atividade.

Certamente que para ser feliz, o primeiro passo é que a pessoa encontre a profissão certa. De maneira que aproveitaremos o potencial criativo e nato de cada ser humano, sem interferência de modelos ou estilos que possam nos moldar ou criar inseguranças diante da dificuldade de aplicar. Para tanto é fundamental se identificar com a carreira e fazer com paixão!

Começamos bem! Paixão é o “ingrediente” que vai incrementar a vida e garantir a felicidade dessa pessoa? Não! Mas já será um ótimo começo. Recentes estudos da neurociência falam da importância em integrar os dois hemisférios do cérebro. Quando realizamos com paixão, há a integração desses hemisférios e a ação de se permitir e experimentar. Essa permissão é como um passaporte, que vou chamar aqui de fase da preparação.

Despertar essa paixão no colaborador, pode ser uma (grande) tarefa dada ao gestor de nossas empresas. Ele deve possibilitar ao colaborador que experimente (dentro das possibilidades da empresa), as opções pelo qual a organização identifica os perfis de seus colaboradores.

Para alguns gestores, essa possibilidade de liberdade entre as funções, pode ser mais fácil. Mas, vamos deixar claro que essa metodologia ainda é algo novo aqui no Brasil. Esses profissionais necessitarão ter uma visão integral da empresa e da situação que estão envolvidos, integrados em um ambiente saudável, fazendo link dos valores pessoais versus os valores da organização, buscando capacitar, reciclar e formar a equipe para que possa galgar novos desafios.


 É importante dizer nesse momento que a alegria do colaborador também está ligada ao salário que é lhe oferecido, este irá sustentar todo esse processo. Mas, saiba que ele não será o fator principal, sendo apontado em 6º ou 7º lugar no ranking dos motivos que levam um profissional a deixar seu trabalho.

O verdadeiro segredo para a pessoa trabalhar feliz, deve começar quando não haja segredos. Isso mesmo, quando o gestor ou líder da equipe, trabalha de forma clara, transparente e coesa poderá encontrar na sua equipe as respostas que tanto procura.

Com decisões acertadas, o profissional de RH não trabalhará para a empresa, mas com a empresa. É um misto de parceria e respeito, garantindo engajamento, dedicação, foco, responsabilidade, desempenho e resultados extraordinários de sua equipe. Este é o fator real da felicidade! E você, é feliz em seu trabalho?